Zoofilia

Zoofilia

Sexo entre humanos e animais

Um tabu na maioria das culturas humanas, ouvir relatos de prazer sexual obtido por meio do contato com os animais geralmente causa repulsa nas pessoas. Os incas puniam essa prática com o enforcamento, mas existem algumas sociedades em que a zoofilia não é condenada e as histórias são bem curiosas.

Entre os ijos, da África, os jovens tinham contato com animais como parte do ritual masculino. Todo menino deveria copular com sucesso com um carneiro, especialmente selecionado. Vários idosos faziam um círculo e ficavam em volta, testando seu desempenho. As habitantes de uma ilha na Micronésia tinham o hábito de usar para o sexo uma grande formiga, provida de ferrão. Colocada no clitóris da mulher, seu ferrão produzia rápida, mas intensa sensação de prazer. Na China, os gansos são muito comuns, e as mulheres romanas tinham uma atração especial por serpentes. No Oriente Médio, ter relações sexuais com crocodilos fêmeas era considerado um ato mágico, tornando o homem rico e importante. A sorte é que o crocodilo de barriga para cima é quase indefeso.

O interesse sexual por animais se apresenta de três formas diferentes:

 

a) o prazer é obtido só com a visão deles fazendo sexo;

b) a pessoa se excita e tem prazer com carícias animais; e

c) o que se chama de bestialidade, ou seja, a cópula com animais. Essa maneira é mais comum para os homens do que para as mulheres.

 

Oito por cento deles declararam, no relatório Kinsey de 1948, ter tido essa experiência. As mulheres preferem só assistir aos animais copulando, coisa que era bem-vista na aristocracia francesa e inglesa do século XVI. Os dados não devem ser muito precisos, porque pouca gente tem coragem de contar sobre o que é tão repudiado socialmente.

Atualmente, no Ocidente, muitos adolescentes que vivem no campo, na falta de outra opção, fazem sexo com vacas, éguas ou mulas. No sul do Brasil, existe até um verbo que designa o costume do coito com as éguas: barranquear. Isto porque o homem fica sobre um barranco para alcançar a altura do eqüino.

Os acidentes fatais são raros nesse tipo de prática, mas em 2005, em Seattle, Estados Unidos, um homem morreu ao fazer sexo anal com um cavalo. O sítio em que aconteceu o fato era freqüentado por zoófilos. A vítima, de 40 anos, sofreu graves lesões internas. Seu cólon rompeu, e a causa do óbito foi hemorragia.

Os animais domésticos são os mais escolhidos, por estarem perto e também pela relação afetiva existente: cachorros, gatos, porcas, leitoas, éguas, vacas, burros, bodes, ovelhas.

Algumas pessoas se excitam de forma estranha: homens que tiram as asas dos insetos e os colocam para passear sobre a glande do pênis e mulheres que besuntam genitais de mel para atrair moscas. Há casos de cães e gatos que são treinados especialmente para o sexo oral com mulheres.

Fonte: O Livro de Ouro do Sexo

Você precisa estar logado para enviar comentários