Texto escrito por:

†Rainha Morticia†

 

Aliando meus conhecimentos acadêmicos de Anatomia e Fisiologia Humana à minha prática em spanking, resolvi escrever este texto, no intuito de alertar , orientar, esclarecer e até relembrar à todos os interessados na prática de um spanking seguro, os locais do corpo humano nos quais o spanking é apropriado, e também os locais que exigem maiores restrições à prática.
Em primeiro lugar, avalie o estado de saúde do seu escravo, principalmente quanto à presença de lesões de pele ou outras doenças que contra-indiquem totalmente ou parcialmente a prática (por ex: desnutrição, caquexia,diabetes mellitus e outros distúrbios da coagulação sanguínea).
O primeiro spanking de um escravo normalmente é precedido por apreensão, nervosismo, dúvidas e medos. Isso é comum e totalmente compreensível. Seja tolerante com seu escravo iniciante; ambos só tem a ganhar.
Procure sempre testar o grau de resistência à dor de seu(a) escravo(a), e também avaliar os efeitos que esse spanking está produzindo em sua pele. Existem escravos(as) que gostam de marcas duradouras (hematomas, vergões duradouros, lacerações...) mas a maioria não; então dê as primeiras chicotadas espaçadamente, fazendo intervalos entre elas, nos quais você poderá observar e analisar a pele. Passar as mãos suavemente sobre o local, durante esses intervalos, é uma boa tática que tem várias finalidades:
-sentir se o spanking está produzindo algum grau de edema na pele ( os populares “vergões”, onde a pele “incha” além de ficar vermelha);
-aliviar a ardência produzida pelas chicotadas;
-fazer um carinho momentâneo no(a) escravo(a).
Nunca se esqueça, em momento algum, que a “vítima” do spanking é um ser humano, e não apenas um pedaço de carne.
 

REGIÃO GLÚTEA

Popularmente conhecida por “bunda”.
Região mais comumente utilizada para a prática, por ser o local de maior permissividade por parte do(a) escravo(a), e também aquela que oferece menores riscos para a prática.
A pele pode ser mais fina e sensível por ser uma área que dificilmente pega sol (com raras exceções), e freqüentemente fica marcada por vergões ou hematomas, mas é sem dúvida o único local do corpo no qual você pode praticar um spanking com todos os tipos de acessórios existentes para esse fim. Ex: mãos, chinelos, cintos, chicotes, chibatas, canes, paddles, etc.
 

REGIÃO TORÁCICA POSTERIOR

“Costas”
Região também bastante utilizada para essa prática.
Em virtude da presença das costelas, que protegem órgãos vitais como pulmões, coração e fígado, evita-se o spanking com materiais do tipo “paddles” ou “canes”, que poderiam causar fratura dessas costelas e conseqüentes perfurações/lacerações destes órgãos.
Dê preferência aos chicotes, podendo ser eles de tiras curtas ou longas, e dos mais variados materiais, dependendo do grau de resistência do(a) seu(a) escravo(a).
Quando for praticar um spanking na região superior das costas, diga para o seu escravo flexionar a cabeça para frente, encostando o “queixo” no tórax, evitando assim atingir seu rosto durante o chicoteamento.
 

REGIÃO LOMBAR

Chamada popularmente de “lombo” ou “cadeiras”, rs
Essa região deve ser evitada na prática do spanking, pois ali se localizam os rins, órgãos sensíveis e vitais do ser humano.
No máximo um spanking bem leve e com material de baixo impacto.
Isso é importante observar se quisermos preservar a integridade física de nosso escravo.
O objetivo de um spanking não é causar lesões graves em órgãos internos.

PERNAS

Nas pernas, sinal verde para:

# região anterior, posterior e lateral externa das coxas;

# região lateral externa e posterior da perna (panturrilha).
 

Sinal vermelho para:

# face interna das coxas e pernas (pois ali passam vasos importantes como as veias safenas e femurais. As safenas, apesar de serem vasos longos e calibrosos, são bastante superficiais e particularmente sensíveis. Qualquer spanking produzido diretamente sobre locais desse tipo produzirá um extravasamento de sangue no tecido subcutâneo, que deixará o local dolorido, cheio de hematomas duradouros e inclusive correndo-se o risco de ter um flebite local)

# região posterior do joelho (ali existem vasos e ligamentos muito importantes, que uma vez gravemente lesados, podem não mais recuperar-se)

# região anterior da perna e do joelho: estes locais são desprovidos de tecido adiposo (“gordura”) e até de musculatura (sobre o osso chamado tíbia. Ali, é pele e logo abaixo, osso.
Uma chicotada forte, se cortar a pele, vai expor o osso, e isso não é nada interessante.

PÉS E MÃOS

Sinal verde para palma das mãos e planta (“sola”) dos pés.
São locais de bastante resistência e dificilmente deixa marcas, com a vantagem de ser bastante dolorido um spanking nesses locais.
Sinal vermelho para o dorso das mãos/peito dos pés, pela grande quantidade de tendões e vasos existentes.
 

BRAÇOS

Lugares pouco utilizados, sendo que é dado sinal verde apenas para a face externa do braço.
Evita-se spanking com chicotes nos antebraços e na face interna do braço, por causa dos vasos e tendões que ali passam, e também nas axilas, pois ali há grande concentração de gânglios linfáticos.
 

ABDÔMEN

“Barriga”
Vai depender muito do tipo de abdômen e quantidade de musculatura existente ali. Homens normalmente tem maior resistência nessa região do que as mulheres.
Observar se o(a) escravo(a) não apresenta hérnias ou incisões cirúrgicas recentes no local; se positivo desista da idéia.
Mesma coisa se ele(a) acabou de alimentar-se, pois pode desencadear vômito.
Qualquer anormalidade gastrointestinal contra-indica o spanking abdominal, inclusive diarréias e infecções intestinais.
Nessa região, evite spanking com materiais pesados, dê preferência à chicotes mais leves e de tiras longas.
 

REGIÃO TORÁCICA ANTERIOR

“Peito”
Mais uma vez, os homens levam vantagem por terem mais musculatura e não terem glândulas mamárias desenvolvidas. Os homens possuem glândulas mamárias, porém as mesmas não se desenvolvem, permanecendo subdesenvolvidas (“atrofiadas”).
Já nas mulheres, por serem desenvolvidas, as glândulas são mais sensíveis e um spanking pesado pode desencadear mastites, hipertrofias e até deslocamento das glândulas.
Portanto, pegue leve nesses locais. Se a escrava usa prótese de silicone, o cuidado deve ser redobrado, pois qualquer inflamação no local pode levar à rejeição da prótese e à necrose dos tecidos. Nesse caso, apenas tapas são permitidos, e de intensidade moderada.
 

PESCOÇO

Não é um local apropriado para torturas tipo spanking.
Nas laterais do pescoço há presença das veias jugulares e artérias carótidas, que drenam/irrigam a cabeça.
E na região anterior temos a glândula tireóide, extremamente sensível.
Torture seu escravo no pescoço dando boas mordidas, mas evite spanking aí.
 

ROSTO

Apenas tapas com as mãos são indicados, não sendo aconselhável o uso de chinelos/réguas, etc e jamais chicotes, pois estes facilmente atingem os olhos.
Os tapas no rosto podem variar de intensidade, desde leves até fortes, desde que saiba-se onde bater e como bater.
Tapas mal dados podem levar à fratura de dentes, mandíbula e outros ossos da face.
O ideal é bater com a mão levemente côncava, e segurando o outro lado da face com a outra mão (se for bater mais forte).
Se a pele do escravo for muito branca e sensível, tapas fortes no rosto podem deixar hematomas.
 

CABEÇA

Pancadas e chicotadas no crânio? Só em filmes de comédia.
No máximo dê uns cascudos com os nós dos dedos, como as professoras faziam antigamente com os alunos indisciplinados.
Ou uns puxões de cabelo ou de orelha - atenção à força empregada, para não arrancar fora a orelha e nem fazer descolamento da cartilagem auricular.
 

GENITAIS

SEXO MASCULINO

Chicotadas são contra-indicadas tanto na bolsa escrotal quanto no pênis. No pênis pode-se dar tapas e puxões. Na bolsa escrotal, evita-se bater com força ou chutar em virtude da presença dos testículos em seu interior.
Você pode suspender os testículos próximos à virilha se o escravo estiver deitado, com o uso de esparadrapos, deixando a bolsa escrotal vazia em sua parte inferior, livre para torturas diversas (aí sim os tapas fortes são permitidos).
O problema não é o “saco” em si, pois este, vazio, tem pouca sensibilidade. O que o torna sensível é a presença dos testículos dentro.

SEXO FEMININO

Chicotadas devem ser evitadas, principalmente na vulva, por ser constituída de tecido mucoso que corta facilmente. Tapas, mesmo fortes, estão liberados, e chutes com os pés descalços também. Chutes com os pés calçados podem cortar e/ou deixar hematomas no local. Não se esquecendo que a maioria das escravas perdem o tesão quando torturas pesadas são aplicadas sobre o clitóris, use com moderação esse tipo de tortura. Existem outras mais leves à serem usadas nos genitais femininos e que algumas vezes até trazem prazer à escrava.
 

CONSELHO

Se você não se sente seguro para praticar um spanking também seguro, peça orientação à um Mestre ou Rainha experiente.
Procure assistir à algumas cenas ou sessões antes de aventurar-se sozinho.
Compre um chicote e treine nas paredes de casa, antes de lascá-lo na pele de alguém; assim vc vai ao menos aprendendo a controlar/moderar a força de sua mão.
Podemos sim ter o sadismo dentro de nós desde criança, mas ninguém nasce sabendo bater/chicotear.
 

Texto escrito por †RAINHA MORTICIA†
Revisão de texto: dimitri_†RM†