O termo “sadismo” tornou-se popular em 1886 pelo psiquiatra Richard Freiherr von Krafft-Ebing em seu famoso estudo sobre a perversão sexual, associando a literatura do Marquês de Sade ( sua forma de escrever era conhecida como “le sadisme”) a casos clínicos relatados por ele sobre violência sexual não consensual.

 

Krafft-Ebing com sua esposa
Krafft-Ebing com sua esposa