MentorPara começar a discorrer sobre o Mentorado no BDSM, vale a pena mergulharmos na história da 'Odisséia de Homero' e conhecermos de onde surgiu a palavra 'Mentor', essa personagem incrível e maravilhosa, que na opinião dos neófitos, seria sua salvação e gloria nesse Universo.

Contar histórias é uma das mais importantes e prazerosas atividades humanas: as histórias dão significado à experiência, nomeiam nossos temores e alegrias, registram nossas dificuldades e vitórias, vinculam as gerações e, especialmente, aproximam as pessoas.

Através das histórias compartilhadas, desde o principio dos tempos, os homens procuram entender a origem da vida e o seu lugar no mundo.

Há histórias de lutas, de descobertas, de amor, de mistérios, do cotidiano ou encantadas – mas todas buscam traduzir e apresentar, de uma forma ou de outra, a experiência e o sentido do viver.

Ítalo Calvino disse certa vez que "um clássico é um livro que nunca termina de dizer o que ele tem a dizer", assim é com a Odisséia... Por isso, conhecer um pouco dessa obra de Homero, é importante para se compreender o desenvolvimento da atividade de Tutoria (Mentorado) dentro do universo BDSM.

Mentor, personagem da Odisséia de Homero, era um sábio e fiel amigo de Ulisses, Rei de Ítaca... Mentor era um homem que associava a seriedade com a alegria, ponderação e cortesia... Um nobre intelectual com uma enorme capacidade de ensinar, fazendo-se entender nos temas mais difíceis... Era humilde e nunca demonstrava superioridade... Um homem raro, de conhecimento abrangente, criativo e talentoso.

Quando Ulisses partiu para a Guerra de Tróia, ele confiou a seu amigo Mentor o cuidado de seu filho Telêmaco.

Mas, muitos anos após o termino da guerra, eis que Ulisses ainda não havia conseguido voltar ao seu lar.

Telêmaco assistia então, angustiado e vulnerável em sua juventude, a dilapidação do patrimônio paterno pelos pretendentes a um novo casamento com sua mãe, Penélope, a qual deles se esquivava, inteligentemente, tecendo, durante o dia, um manto prometido ao 'futuro' sogro, mas o desmanchando à noite.

Essa terrível situação não podia mais continuar e Telêmaco decide partir em busca de notícias do pai... Mas ele não parte sozinho- afinal, era muito jovem ainda... É então acompanhado por Mentor e dele recebe suporte, orientação, inspiração e coragem para seguir em direção a seu objetivo.

Ir em busca do pai tem, psicologicamente, um sentido muito importante - trata-se de se aproximar do mundo dos adultos, daquele lugar tão desejado na infância que, com o desenvolvimento e amadurecimento, se mostra então possível ao jovem.

As vicissitudes da viagem de Telêmaco em direção ao pai, assim como de Ulisses de volta para casa, os encontros e desencontros na jornada, o auxílio recebido dos deuses e dos amigos compõem o coração da obra.

O que fazia Mentor?

Mentor foi largamente responsável pela educação do jovem Telêmaco, pela formação de seu caráter, valores e pela sabedoria de suas decisões... Sua presença era particularmente importante quando decisões práticas eram necessárias ou quando escolhas críticas tinham de ser feitas.

Importante ressaltar que nesta relação de ajuda Mentor não estava sozinho... Palas Atena, a deusa dos olhos brilhantes (ou dos olhos glaucos, olhos verde-mar) e da sabedoria, muitas vezes 'assumia' a forma do amigo de Ulisses para iluminar ainda mais o caminho de Telêmaco.

Havia assim, também, um importante elemento espiritual nesta relação de ajuda, além da contribuição pragmática de Mentor... A 'parceria Mentor-Atena' personifica, como um todo, a sabedoria necessária para seguir em frente.

No final da jornada, e isto é importante para a compreensão dos objetivos do 'Mentorado', Telêmaco tinha amadurecido e já tomava decisões independentemente... Nesse sentido, Mentor foi uma fundamental figura de transição na vida de Telêmaco durante sua jornada da infância à maturidade.

Bem mais tarde, no final do século XVII, um educador francês chamado François de Salignac de La Mothe-Fénelon escreve "As Aventuras de Telêmaco" (1699).

Neste outro livro, a relação de Mentor com o filho de Ulisses, com todos os seus detalhes, é o centro da narrativa... Enquanto a Odisséia concentra-se mais nas experiências de Ulisses, este focaliza especialmente a educação de Telêmaco.

Fénelon foi tutor do neto de Luis XIV e seu livro, no século XVIII, inspirou muitos pedagogos... A história é uma "continuação" do poema épico de Homero e, através de uma série de aventuras, o autor ilustra a tese de que um monarca ideal deveria ser um homem de paz, sabedoria e de estilo de vida simples.

Graças a Fénelon e ao Iluminismo, a palavra 'Mentor' renasceu depois de três milênios e está presente em nossa linguagem atual.

O termo mentor passa então a ser utilizado para designar, em geral, a relação entre um adulto mais experiente e um jovem iniciante... Uma relação na qual o mentor provê orientação, instrução e encorajamento para o desenvolvimento da competência e caráter do Neófito.

Durante o tempo em que permanecem juntos, espera-se que os dois desenvolvam um vínculo especial - de compromisso mútuo, respeito, confiança e identificação - que facilite a transição para a vida adulta.

Voltando à história grega, seja na Odisséia, seja no livro de Fénelon, é importante salientar que mais do que tutelar, isto é, ser totalmente responsável por Telêmaco na ausência do pai, Mentor o mentoreava (sim, existe o verbo mentorear!)... Orientava, guiava, ensinava, inspirava e, acima de tudo, encorajava em direção à independência, à autonomia, à construção de sua própria identidade... Não fazia "pelo jovem" e sim o fortalecia, através do suporte e da experiência, a "fazer por si".

O importante é deixar claro que o Mentorado deve ser compreendido sempre como um tipo especial de relação.

Isso posto, agora darei minha visão muito pessoal sobre o que eu penso sobre a política e as regras de Mentorado em nosso meio.

Preciso de um Mentor?... Essa é a pergunta que deve se fazer, por que na minha 'humilde' opinião você não precisa de um Mentor para fazer o BDSM acontecer na sua vida de forma ética, inteligente, segura, responsável, legal e tudo o mais.

Mas concordo que é de grande valia ter alguém mais experiente para apontar um Norte quando se é novo nesse Universo.

Eu tive mentores 'não oficiais' em meus primeiros anos de BDSM... Eram pessoas em quem eu confiava... Eram pessoas que eu respeitava... Eram pessoas que já estavam envolvidas no BDSM há muitos anos e eu os orbitava e os sugava como uma esponja, ou seja, eu os absorvia.

Tudo que vinha deles era super bem-vindo... Eu os seguia e os devorava... Lia tudo que partia deles... Lia os textos, as narrativas, as opiniões, conselhos e principalmente as explicações sobre praticas que eu apreciava.

Eu confiava nessas pessoas sobre as dicas que elas passavam sobre a comunidade, e trazia para minha vida o comportamento e os valores que eu tanto apreciava neles, como ética, respeito e confiança.

Descobri aos treze anos que o que eu era ou sentia, tinha nome e foi graças a essas pessoas que eu encontrei, finalmente, meu lugar dentro do BDSM.

Eu acho que o Mentorado é uma ideia boa... Mas não precisa pedir oficialmente para alguém te mentorar... Você pode, simplesmente, cultivar boas relações com pessoas mais experientes desse universo e com isso tirar todas as suas dúvidas, bem como você deve proceder nesse mundo para que consiga sair ileso de algumas armadilhas que por ventura cruzar seu caminho.

Observe que eu disse te livrar de 'algumas' armadilhas e não de 'todas' as armadilhas.

Errar é humano e errar fará parte do seu crescimento e maturidade dentro dessa cena BDSMista... Poderemos te mentorar e minimizar os riscos e traumas que vai aparecer ao longo de sua jornada e enquanto você escreve sua historia aqui dentro... Mas não poderemos te livrar de todas as armadilhas, dores, frustações ou decepções.

Ter um Mentor não significa que você não é responsável... Se você resolver seguir o conselho de alguém e não se dar bem, tenha em mente que você ainda é o único que está na condução da sua vida. E essa é outra razão para que escolha muito bem quem serão as pessoas que você vai confiar e principalmente em quem você vai se espelhar.

Quem são as pessoas confiáveis, éticas e integras do Nosso Universo?? ... É uma pergunta difícil de responder, eu no seu caso, observaria as pessoas que estão fazendo as coisas da maneira que você admira, acha certo e simpatiza, mas principalmente que tenham uma boa reputação e que sejam 'Faróis' dentro da nossa comunidade.

Você é um neófito, fato, mas isso não significa que seja uma pessoa burra e que não consegue fazer uma triagem e separar o joio do trigo... Basta prestar atenção ao seu feeling e absorver o máximo de informações que você puder ter acesso.

Colocarei agora quatro regrinhas de ouro, e sugiro que ao ler, você faça uma viagem interior e seja absolutamente honesto contigo ao se perguntar... 'Porque eu preciso de um Mentor'? ...

A saber:

  • Regra n º 1 – Se a pessoa que escolheu para Mentorar quer sexo com você, ele não é um Mentor..
  • Regra n º 1-A - Se você quer ter relações sexuais com ele, você não está procurando por um Mentor.
  • Regra n º 2 - Se a pessoa que você escolher quer ter sessão com você, ele não é um Mentor.
  • Regra n º 2-A - Se você quer que ele tenha sessão contigo, você não está procurando por um Mentor.
  • Regra n º 3 - Se a pessoa que você escolheu tentar controlar a sua vida negar-lhe acesso a outras pessoas ou informações para a sua educação BDSM , ela não é um mentor.
  • Regra n º 3-A - Se você está procurando um Mentor para controlar a sua vida, tomar decisões por você, te dizer quem você pode ver, ou o que você pode ler, bem como com quem você pode falar para aprender sobre este estilo de vida, VOCÊ NÃO ESTÁ PROCURANDO um Mentor.
  • Regra n º 4 - E só se aventure a sair pedindo para as pessoas serem mentores na sua vida, quando estiver absolutamente convicto que precisa de um.

 

Não delegue o poder de decisão da sua vida para outra pessoa... Lembre-se: É a sua vida... É a sua historia que está começando a ser contada... Ao começar a se aventurar por esse caminho sem volta, muitas vezes só caberá a você tomar as decisões e assim, munida de segurança e maturidade, vai começar a escrever sua historia aqui dentro.

Mas se mesmo assim você acreditar que precisa de um Mentor, tenha sempre em mente que o mentor é alguém que oferece orientação , apoio e ensino e atuará como um modelo para você!

Um bom mentor nunca vai dizer 'Eu vou te ensinar a ser como eu', mas sim, 'Eu vou ajudá-lo a ser quem você deseja ser '.

Para ser um mentor exige conhecimento - não só do próprio sujeito, mas também o conhecimento de comunicação e ensino... Alguém pode ter uma gama de conhecimento e experiência dentro do estilo de vida, mas sem as habilidades para transmitir esse conhecimento.

Um mentor deve ser um professor, e confiável o suficiente para ser um confidente sempre que necessário, para ser capaz de dar orientação, apoio e aconselhamento, sem preconceito e com uma visão de mente aberta em todos os momentos.

Um Mentor em BDSM deve ter um bom conhecimento dos aspectos deste estilo de vida, bem como as competências e experiência em praticas e ser capaz de ensinar essas coisas para a pessoa que está sendo orientado.

Um papel de mentor não deve ser confundido com o papel de um 'criador' de submissos ou dominantes ... Estes são todos aspectos distintos da vida dentro de BDSM... E sempre há aqueles que gostam de auto intitular 'Mentores ou Mestres, e que isso lhes conceda o direito de aproveitar e tomar liberdades com a pessoa que está sendo orientado .

Um mentor nunca deve estar envolvido em práticas com a pessoa que está sendo orientada , pois isso muda a dinâmica do papel do Mentor.

Um mentor não deve impor ordens, restrições ou punições , este não é o papel esperado dele...

Em outras palavras, um mentor é, definitivamente, um professor, mas um professor não é necessariamente um mentor.

Um mentor é um professor, um guia, uma caixa de pandora e, sobretudo, um amigo... Um Mentor é um conselheiro de confiança ou guia.

Um mentor sempre estará lá para responder às suas perguntas, dar conselhos e apontar a direção para que você encontre as respostas que precisa.

O mentor estará lá para avisá-lo quando você está prestes a se ferrar... Mas eles não estarão lá para salvá-lo de seus próprios erros e atitudes estúpidas e egoístas.

Um mentor precisa ter a ética de um santo, a paciência de Jó, a flexibilidade de uma cobra e ser uma coluna de aço, muitas vezes.

Um mentor não é um amigo 'pau amigo', um amigo com benefícios, um parceiro de jogo, ou um aproveitador de sua vida e existência... Não deixe que um predador, se aproxime disfarçado de mentor apenas para abusar e usar você.

Acredito que este é o grande valor dessa experiência chamada Mentorado... O crescimento, a transformação pessoal, muitas vezes inesperada em seu sentido, que, através da troca generosa de experiências, atinge a todos que a ela estejam abertos a serem Mentorados... Mas serem Mentorados por inteiro... De corpo, alma, mente e coração.

'O saber a gente aprende com os Mestres e os livros... A sabedoria se aprende é com os simples e humildes'!

(Cora Coralina).

+ Dicas para Bottoms